artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Artes Cênicas

A bunda de Gerald
José Carlos Laitano

Gerald é diretor de teatro que a mídia elevou ao estado de gênio. Foi vaiado pelo público, faz um bom tempo. Daí ele baixou a calça e mostrou a bunda para a plateia.

O pedreiro trabalha com ferramentas: colher, pá, metro, balde. Marceneiro com furadeira, martelo, lixa. Advogado com códigos. Ator tem uma única ferramenta: o corpo. O dedo do pé, o nariz, os fi os de cabelo, o dedo mindinho, bunda. Para o ator, é tudo corpo. Se o texto recomenda o uso do pé, da voz ou dos seios, é o que fará. O toque corporal entre personagens e a nudez faz parte.

Os cursos de interpretação começam pela liberação do corpo: dançar, requebrar, acariciar. Vergonha, a atriz pode sentir fora do palco, aí trata-se da sua pessoa e do seu recato. No palco e na tela de cinema, é o personagem que toma por emprestado o corpo do intérprete. Daí o nome: intérprete. Um bom ator estuda o seu personagem em detalhes, físico e psíquico, transporta-se para ele, vive, come e pensa como ele. É ele. Por isto, mostrar a bunda no palco signifi ca nada em termos de moral. O que diferencia uma obra qualifi cada com todo mundo pelado da picaretagem onde surgem bundas e a gente não sabe bem a razão, é exatamente isso: por que o nu? Acrescentou, enriqueceu a história? Ou apenas chama público?

A polícia entrou na história, mostrar a bunda é crime. O diretor Gerald alega que “preocupar-se em gastar seu valioso tempo com a minha bunda é a prova da falência do sistema da justiça e da polícia do Rio de Janeiro”. Porque, na verdade, ele fez uma performance no palco ao mostrar o traseiro. Um gesto agressivo, sem dúvida, porque estava sendo agredido por esse público através das vaias. O texto pode tudo, a direção pode tudo, o público pode tudo, a crítica pode tudo. Até o limite do bom e do necessário, conceitos indefi nidos. O público, se não gosta, deixa de aplaudir, pode até retirar-se em meio ao espetáculo. Para que vaiar? Não sei por que a polícia entrou nessa roubada e instaurou inquérito.

Decerto para agradar aos moralistas que sequer foram ao teatro, mas ouviram falar e fi caram espantados que alguém tenha se mostrado. O que acontece no recinto da arte, lá deve permanecer. Outro corpo que sofreu, rejeitado como ferramenta, foi a bailarina russa Anastasia. Foi retirada do grupo do Balé Bolshoi por estar muito gorda. O chefe disse que estava difícil de levantá-la (na dança). Anastasia possui 1,70 de altura e pesa 49,50 quilos. Quem das caríssimas leitoras pesa 49 quilos? Mas não somos bailarinas! Tudo bem.

A ferramenta desgastou, ficou obsoleta e a atriz dançou. Não interessa a pessoa, mas sua única ferramenta de trabalho: o corpo. A preocupação não foi com o seu pé, seu nariz ou os seios: mas a massa de gordura debaixo da pele. Ela foi vaiada de outro modo. E nem por isso mostrou a bunda para seus críticos.


05/08/2011

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "552612" no campo ao lado.
 
  

 

  Resenhas

As resenhas pubicadas no portal Artistas Gaúchos são de inteira responsabilidade dos articulistas. Se você deseja enviar um texto, entre em contato com o editor do portal. Não é necessário estar cadastrado no portal para enviar resenhas e a veiculação ou não é uma escolha editorial.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Resenhas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na