artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Teatro

"O grande protagonista é de fato o dinheiro ou a sua falta"
Marcelo Spalding


Um dos mais importantes dramaturgos do Rio Grande do Sul, Ivo Bender fala sobre o teatro gaúcho e os textos que temos assistido no Estado. AG - Como o senhor vê o atual momento do teatro gaúcho?

Ivo Bender - O teatro gaúcho vive um momento de grande efervescência, embora certos governos de plantão procurem atrapalhar sua atividade. Mas, como o teatro "vem morrendo" desde o desaparecimento dos festivais dionisíacos na Atenas derrotada por Esparta, no início do século IV a C. , não será este ou aquele governo que irá impedí-lo de acontecer. Se assim fosse, nosso teatro não teria sobrevivido à boçalidade da censura à época da ditadura militar, à prisão de atores e atrizes, ao banimento de obras consideradas uma ameaça à tal de segurança nacional. Portanto, apesar dos pesares, o teatro gaúcho vai bem, obrigado.

Há um crescente interesse por oficinas, tanto de criação literária quanto de interpretação teatral, mas não se ouve falar de oficinas de dramaturgia, e talvez a sua seja pioneira. Por quê?

Certamente isso ocorre porque a dramaturgia é um gênero literário difícil, rebelde e que pede mais do que a simples edição do texto: a peça teatral exige ser encenada. E a encenação custa caro. Então eu diria que além de ser uma prática difícil e quase desconhecida, os possíveis autores de teatro não querem arriscar-se na tarefa. O que é uma pena. Daí essa oficina: ela surgiu, basicamente, com o objetivo de dar oportunidade de criação, discussão e leitura dramática para os textos que forem escritos.

A que o senhor atribui a recorrência de montagens gaúchas de textos clássicos, em especial de Shakespeare?

Um texto clássico, lido ou encenado, é sempre um desafio para diretores e atores, figurinistas e cenógrafos. Um texto clássico é um texto ao qual sempre voltamos: ou por que é uma grande obra de arte ou porque é um tesouro de sabedoria. Reler ou encenar Sófocles ou Eurípedes, Racine ou Molière, Shakespeare ou Nelson Rodrigues equivale a um curso que se fizesse em que a disciplina real fosse a vida.

Pelo que se vê, as Companhias de Teatro costumam ou adaptar textos literários ou criar elas mesmas os textos, raramente investindo na contratação de um dramaturgo. É isso mesmo? O diretor é o grande protagonista, hoje? O grande protagonista é de fato o dinheiro ou a sua falta. A encenação é uma atividade dispendiosa e a adaptação de um conto ou duma peça de teatro sempre livra o grupo de pagar direitos autorais. É, pois, compreensível, embora se possa discutir a validade dessa prática, que alguém do grupo adapte, recorte, crie ou recrie um texto. Se o adaptador não desfigurar a obra, menos mal. Há pouco ainda vi uma peça em que foi retirada uma cena inteira. Era uma cena que preparava o desfecho e, naturalmente, fiquei sem saber porque a ação dramática dera aquele salto. Mas o pior é que nem nos anúncios e nem no programa do espetáculo havia qualquer menção a cortes ou adaptações.

Poderíamos dizer que há uma novelização do texto teatral, com textos de riso fácil e que apostam no nome dos protagonistas?

Sim. E vou mais além: há uma banalização que trata de agradar o público, banalização em que aparecem atores apenas sofríveis que nos chegam da televisão. São espetáculos em que a ausência de compromisso com o teatro é evidente. Quanto a isso, nada a fazer. O público é que deve se educar e ser mais exigente.

Qual o grande dramaturgo em atividade no Estado?

Deve haver mais de um. No entanto, pelo que já disse acima, esses dramaturgos têm seus textos engavetados: não são encenados nem, tampouco, editados.

24/04/2008

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "144906" no campo ao lado.
 
  

 

  Entrevistas

As entrevistas publicadas no portal Artistas Gaúchos são feitas pela equipe do portal, mas se você deseja enviar uma entrevista, entre em contato com o editor do portal.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Entrevistas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural