artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Nelson Martins
Nelson Martins
Clique nas imagens para ampliá-las
Clique para ampliar Clique para ampliar

 torne-se fã desse artista

Nelson Martins nasceu em Camaquã-RS, em 1974... Reside em Porto Alegre, capital dos Gaúchos desde 1986, garoto ainda. Tem, na poesia, sua arte predileta, escrevendo há décadas. Participou de diversas antologias publicadas pela Casa do Poeta Rio-Grandense e Editora Alcance. Através dessas entidades participou de diversas Feiras de Livro do Rio Grande do Sul.

Poesias sem Fim é seu primeiro livro individual, mas já está no preparo de um novo, pois acredita que a sensibilidade é inesgotável no poeta. Por isso mesmo entende que este sentimento, seja em formatação de verso ou de pensamentos poéticos cumpre a mesma função de levar emoção às pessoas.


Nelson Martins 26/09/1974 Camaquã, Rio Grande do Sul, Brasileiro
Ocupação: Escritor
Principais trabalhos: Poesias sem Fim
Gênero Literário: Poesia
Principais Interesses: Literatura

Obras: Poesias sem fim
Antologias:

Gente da Casa - Nelson Fachinelli, organizador
- Porto Alegre: Editora Alcance, 2002.

Coletânea Literária - Gente da Casa - Casa do Poeta Rio Grandense - 39 Anos
Nelson Fachinelli ( Org.)
- Porto Alegre, Editora Alcance, 2003.

Coletânea Literária - Casado Poeta - 40 Anos
- Porto Alegre, Editora Alcance, 2004.

Casa do Poeta Rio - Grandense, Nelson Fachinelli e Rossyr Berny ( Org.)
Coletânea Literária - Casa do Poeta Rio - Grandense
- Porto Alegre: Editora Alcance, 2005.

Brasil Poeta, Rossyr Berny ( Org.)
Coletânea Literária - Brasil Poeta
- Porto Alegre: Editora Alcance, 2005.


------------------------ Poesias -------------------------


Quando alguém canta

Quando alguém canta
Os pássaros se espantam nas árvores
As flores exalam seus perfumes no ar
- Como por encanto.

Quando alguém canta
As lágrimas se recolhem no peito
De quem ama, o coração se cala
- Como por encanto.

Quando alguém canta
Na lembrança de um ser humano triste
Só um sorriso dança...
Tudo se encontra/E se desencontra
- Como por encanto.

Quando alguém canta.


....


Pai Filho

Meu passado... Sinto frio
Ter, aquele a admirar
Mas o senhor me ignora
Me expõe a esmolar
Sinto fome
Fala, fala meu coração
De carinho, de amor
Mesmo sangue no interior
Porque nada me dizia

Suspiro? Cigarro revolta
Mais um dia que a cigarra assovia
Seu canto sozinha
A ponto de explodir
Seca seus olhos
Mas não quer, se dividir
Em palavras
Pai Filho
Que liberdade muda
Tens que ter um sentimento profundo

Porque nada me dizia
Brigas, saindo fora de si!
Possuído bebia
Há pontas de cigarro no chão
Que perfuras meu pulmão
Meu coração
Aos poucos me sinto chão
Perdoai-me Pai
Numa palavra
Há um novo verão
Para libertar-se,
e me chamar de filho

Porque nada me dizia
Só sofria... E eu sentia.

...

A poesia pode ser breve

A poesia pode ser breve, como luz...
Nos olhos de quem a ler, por um instante.

-E eterna no coração, como fogo...
Na alma de quem com ela quer morrer
Amando-a eternamente.


...


Homem x Mulher

Pra mim, o homem é o centro da terra.
Por quê?
Seus pensamentos são em prol da revolução.
Já a mulher, é o centro do universo.
Por quê?
A mulher é a Mãe de todos os homens!


...


Sou só poeira

Eu sou só poeira
Deixado na madeira
Deixado pelo vento minuano
No tempo... No Pampa
E quando ele quer me ver
Sofrer novamente
Ele volta me abraça...
E simplesmente
Leva-me para outra madeira

O mesmo vento que me da o ar
Que me tira o ar!

Eu sou só poeira
Deixado pelo amor
Deixado no vento minuano
Perdido no tempo
Perdido no Pampa
E quando ele quer me ver
Sofrer novamente
Ele volta e me abraça...
E simplesmente leva-me
Para os braços de outra pessoa

O mesmo amor que me da o ar
Que me tira o ar!


...


Faces

De mil faces
De mil vozes
O mundo está cheio.
Mas de sorrisos sinceros
De palavras verdadeiras
Me ecoa um vazio por inteiro!


------------Pensamentos-------------



“No universo das estrelas o poeta
No universo da poesia as estrelas!”


“Homens; pequenas esferas...
Trabalhando no relógio, MUNDO.”


“Embora me digam... Que meus olhos são azuis
Eu ainda vejo as coisas em preto e branco.
Mais preto do que branco.”


“Sou como tantas árvores que secam
Em meio à multidão.
Mas renasço a cada amanhecer
Com um novo amor no coração!”


“Prefiro morrer louco com minhas loucuras
Que viver submisso às tuas loucuras!”

“Tenho mil e uma idéias
E uma só vontade
De mudar o mundo
Mas essa vontade
É maior que todos
Os meus sonhos.”

“Mais que tudo nessa vida, ainda o amor me conforta
E para ódio, eu tranco a porta!”

“Uma mente nos livros
Não é uma mente presa
Mas sim uma mente livre!”

-------------------------

Meu site Oficiail
-------------------------

Blog: Oficial
http://poesias-sem-fim.blogspot.com.br/




Cidade Porto Alegre
Telefone(s) 51-8254-7261
E-mail nelsonmartins35@hotmail.com
Site poesias-sem-fim.blogspot.com.br/



 Cadastre-se como fã desse artista

Prestigie seu artista favorito.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF: /
 
  


 

A presença de Nelson Martins no portal é um oferecimento de:


Este perfil já foi acessado 1029 vezes.

.

Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural