artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Literatura

"Foi uma honraria que nunca tinha vislumbrado"
Marcelo Spalding


Professora, de que forma recebeste a indicação para o Prêmio Fato Literário?

Zilá Bernd: Foi uma notícia muito agradável e realmente surpreendente. Honraria que nunca tinha vislumbrado. Em uma cidade com tanta gente talentosa e criativa, a escolha de alguém da academia (em realidade dois da academia – o Fischer e eu - e até do mesmo Instituto) foi realmente inesperada. Recebi-a como uma honra e como uma forma de generoso reconhecimento a meu trabalho e de meu grupo de pesquisa, por parte dos membros da comissão de doutos que atua junto à equipe da ZH na organização do Fato Literário.

Conte-nos um pouco sobre seu trabalho, para quem não conhece.

Zilá Bernd: Minha formação é em Letras na UFRGS, onde obtive um diploma de Literatura brasileira e francesa. Depois ainda na UFRGS fiz um Mestrado em literatura Brasileira, e na USP, um doutorado em literaturas da francofonia em perspectiva comparada com a literatura fro-brasileira. Um pós-doutorado em literatura comparada em 1990, completou minha escolaridade…Iniciei minha vida profsisional na UFRGS, no setor de francês e caho que minha grande contribuição na área (e que me valeu o título de professor titular em 1995) tenha sido o fato de eu ter diversificado o enfoque do ensino do francês, que era inteiramente orientado em direção à literatura e à cultura francesas (de França), introduzindo a diversidade da francofonia do Quebec, que visitei em 1980 com uma bolsa do Governo do Quebec. Depois fiz estágio também nas Antilhas francesas. As visitas ao Quebec e ao Canadá se sucederam e animei de tal forma os estudos ditos canadenses que passei a ser presidente da Associação Brasileira de Estudos Canadenses (1999-2001) e posteriormente do Conselho Internacional de Estudos Canadenses com sede em Ottawa (2003-2005). Atualmente faço parte do comité de redação da revista Interfaces Brasil/Canadá. Revista da Abecan que criei em 2000 e que tem versão on line (www.revistabecan.com.br). Coordenei durante mais de 15 anos um acordo itner-unviersitário com a Université du Québec à Montréal que funciona até hoje e que já enviou cerca de 15 professores brasileiros a Montreal e recebeu em torno de 30 professores do Quebec que vêm ministrar cursos sobre essa jovem, porém instigante literatura.

A senhora atribui esta distinção ao maior envolvimento da Universidade com a sociedade?

Zilá Bernd: Penso que sim. Em geral são os ficcionistas e os poetas e não ensaístas e críticos que recebem esse tipo de premiação. Atribuí-la a um pesquisador e sobretudo a alguém que como eu tem um trabalho que se desenvolve em grande parte no exterior, onde tenho ministrado incansavelmente cursos de literatura brasileira em língua francesa, é algo mesmo digno de nota. Acho que pode ser lido dessa forma como estás apresentando : um reconheicmento do trabalho de ensino, pesquisa e orientação que se faz na Universidade e uma valorização do diálogo que conseguimos estabelecer com departamentos de letras de universidades da América Latina, da França e do Canadá.

Para a senhora, qual o papel dos cursos de Letras em geral e da literatura comparada em particular na sociedade contemporânea?

Zilá Bernd: Não partilho a visão apocalítica do fim das letras, da inutilidade de manter cursos de Letras. Embora bem consciente de que a literatura pode pouco, que ela é frágil de determinados pontos de vista, penso que o ensino da leitura em profundidade de textos literários que se oferece nos cursos de letras é um bem precioso, pois a literatura é o lugar onde se dá o encontro do leitor com o autor e onde esse leitor acompanha o trabalho do autor de interrogação do real. Assisti na semana passada em Montreal à palestra do escritor francês Le Clézio, ganhador do prêmio Nobel desse ano, e, através de suas palavras, entendi porque consagrei minha vida ao ensino da literatura : « A literatura, segundo o autor, é um meio de interrogar o real. Quais são nossas grandes questões ? a identidade, o amor, o sofrimento, a vida, a morte. » A leitura nos oportuniza o questionamento desses temas fundamentais prá vida. Portnato, a literatura é nossa salvação.…A literatura comparada tal como a pratico, no viés da interamericanidade, buscando entender as ressonâncias e as recorrências de sentido entre as Américas e o sentido de nossa americanidade, é essencial para construirmos um relacionamento duradouro entre as três Américas e para que possamos reinventar nossa americanidade.

A senhora foi uma das primeiras a criar um site para divulgar sua pesquisa acadêmica. Por que sentiste esta necessidade? De que forma a divulgação online ajudou na divulgação do trabalho?

Zilá Bernd: Antes desse site, ao mesmo tempo pessoal e de divulgação da pesquisa, que me ajudaste a construir, eu já havia organizado um outro www.ufrgs.br/cdrom onde divulguei os resultados da pesquisa 60 Textos fundadores do comparatismo literário interamericano. Já está no ar há uns 7 anos e continua a ser visitado. Sou encantada com essa possibilidade de estar dando aulas em Rennes, na Bretanha, ou em Montreal, no Canadá, e poder com um simples click mostrar a colegas e estudantes o trabalho ao qual dedicamos, meus colegas, doutorandos e mestrandos, 3 anos de trabalho. Essa mágica da modernidade que nos projeta no espaço cibernético é fascinante sobretudo prá quem é do tempo do mimeógrafo a álcool como eu… Disponibilizar dados de pesquisa em site é democratizar a cultura e contribuir para a diminuição dessa praga dos meios acadêmicos que é o xerox…Ao consultar a internet e imprimir algum texto, conforme o caso, não estamos cometendo o ilícito de xerocar livros ou parte deles, como ainda fazemos nas unviersidades. O trablaho de manter atualizado o site é amplamente compensado pelo diálogo que se estabelece entre pesquisadores de várias regiões.

Para terminar, o que a senhora diria sobre Vítor Ramil e Luis Augusto Fischer, que concorrem ao prêmio com a senhora?

Zilá Bernd: Diria que são uma parada duríssima : talentosos, polivalentes, bem humorados e bem mais conhecidos do grande público do que eu. Pessoas a quem admiro e de quem sou leitora. O Fischer foi inclusive meu orientando de doutorado, embora já fosse pesquisador com grande autonomia de vôo desde muito tempo. Considero que nós três já fomos premiados com a indicação, que nos dará muita visibilidade, como esta oportunidade rara que estás me proporcionando de tornar meu trabalho e da minha equipe mais conhecido. Enfim, na pior das hipóteses serei medalha de bronze, o que já é uma bela premiação.


29/10/2008

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "005211" no campo ao lado.
 
  

 

  Entrevistas

As entrevistas publicadas no portal Artistas Gaúchos são feitas pela equipe do portal, mas se você deseja enviar uma entrevista, entre em contato com o editor do portal.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Entrevistas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural