artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Resenha

Quem tem medo do feminismo negro?
Sandra Radin

Já na introdução de Quem tem medo do feminismo negro?, de Djamila Ribeiro, a autora consegue prender nossa atenção de forma brilhante e nos mantém atentos quando na primeira frase afirma: “O feminismo negro não é uma luta meramente identitária, até porque branquitude e masculinidade também são identidades…”

Se desnuda perante o leitor contando fatos de sua vida, sua relação familiar e todas as vezes que foi alvo do racismo e do sexismo, sentindo-se, na maioria das vezes, desamparada e abandonada seja na infância, seja na adolescência. Suas palavras ecoam o mais profundo de nós, de tal sorte, que constatamos o quanto as mulheres foram silenciadas por séculos. E, a mulher negra foi a maior vitima, a mais silenciada de todas nós. Aquela que quiseram apagar da história da humanidade.

Ela se vale de relatos pessoais os quais servem para contar do vivido também por outra meninas e mulheres negras. Uma mancha na nossa história. Preconceito esse que ainda hoje persiste.

E, assim, com sua entrega a narrativa, consegue captar nossa atenção e desejo de conhecer um pouco mais de sua escrita e de sua própria história. Pontua eventos retidos em sua memória. Se desnuda. Se mostra com todas suas dores, feridas acumuladas e cicatrizes que a compõem. Pelas incontáveis vezes que foi vítima do preconceito, bullying, violência e discriminação.

Militante e filósofa, ocupa seu lugar de fala dando voz e denunciando o que chama de “silenciamento” ou seja, o processo de apagamento da personalidade que assim como tantas outras mulheres negras foram vitimas.

Segunda a autora, foi na Casa de Cultura da Mulher Negra, quando deixava a adolescência para trás, que sentiu orgulho de sua cor, de suas raízes e desejou nunca mais ser invisível. Graças a outras grandes mulheres, negras e escritoras. Seja Chimamanda Ngozi Adichie, Sueli Carneiro, Alice Walker, Toni Morrison e Conceição Evaristo dentre outras, com as quais mantém estreito diálogo e compartilhamento de ideias e ideais.

Nos quase quarenta textos que compõem o livro, vamos descobrir uma Djamila disposta a não calar frente a uma sociedade racista e misógina. Fala do racismo, da opressão, racismo no humor, nas mídia, racismo com as religiões de origem africana. Ainda dedica textos para falar da miscigenação, cotas raciais, racismo nos esportes, violência e racismo e feminismo. Por vezes, a autora usa da ironia para abordar alguns temas, como por exemplo o conhecido “racismo reverso”, mas sem nunca perde o seu senso didático.

Então fica a pergunta para pensarmos: quem tem medo do feminismo negro?


27/07/2022

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "583707" no campo ao lado.
 
  

 

  Sandra Eliane Radin

Mestre em m Educação, estudiosa da Psicologia Analítica e da Mitologia Grega, escritora com 1 livro individual e alguns contos publicados pela Metamorfose; 1 conto selecionado e em fase de publicação pela USP, conto a ser publicado pela Ed. Primavera e Coletivo Escreviventes. Mais informações em https://sandraelianeradin.com.br

sandraeradin@gmail.com


Colunas de Sandra Eliane Radin:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos e oficinas

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na