artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Devo anunciar meu livro?
Paulo Tedesco

Alguém sabe o melhor marketing para o livro? Talvez o pessoal das grandes editoras saiba, na ponta da língua, afinal devem conhecer seus pontos de venda e suas posições de gôndola em grandes varejistas, virtuais ou não, como ninguém. E assim se divertem com novos estratagemas e ações de PDV a cada novo título e autor.
 
Mas, para o autopublicador, como fica? Pois não se vê a utilização de espaços publicitários tradicionais para se promover um livro. Existe, mas é caro e incomum. Anúncio publicitário em televisão e rádio, outdoors e painéis iluminados, anúncio de página em jornal de boa circulação e até brindes são tão raros como alguém dizer que conhece javanês.
Se um livro comprado não é necessariamente lido, e um livro lido não é necessariamente comprado, como resolver a equação? Entra aí, então, o outro lado do livro: o leitor. Sim, é preciso trabalhar o leitor, ou melhor, a leitura. É preciso estimular para que o título seja lido, e que seja conquistada a atenção do leitor. E, dessa atenção, possa ser retirado algum interesse pela leitura.
 
Portanto, o foco, me parece, precisa ser cada vez mais o leitor, a promoção da leitura. Essa, possivelmente, a explicação do porquê as grandes editoras procurarem blogueiros para resenhar seus títulos em substituição aos desaparecidos críticos literários, que escreviam nos jornalões as suas (quase sacrossantas) opiniões.
Mas, e as redes sociais, onde entram? E os anúncios pagos no Google e outros, como se faz? Onde é que tudo entra no cálculo do marketing para o livro? Devemos correr atrás da MSN, Terra, UOL, Yahoo, e outros para gastar o dinheiro com anúncios do livro? Pois ao contrário dos veículos tradicionais, nesses novos e digitais poderemos monitorar a visualização, e assim quantificar o alcance de nossos investimentos publicitários?
 
O conhecimento dos antigos já dizia que o diabo sabe porque é velho e não porque é diabo. Em outras palavras, é preciso começar a estudar e a se questionar antes de sair gastando e perdendo tempo com o que possivelmente não traga resultado algum. É preciso, antes de tudo, conhecer com profundidade do que agir por impulso.
Urge conhecer nossos leitores e é essa a melhor resposta sobre anúncio de livros. O editor e o autor têm que sair da toca. Expor seu conteúdo das melhores formas e mais baratas possíveis.
 
Tem que trabalhar em rede, como alguns blogueiros fazem. Tem que posicionar seu título com estratégias de promoção que comecem nos primeiros planos para lançamentos e promoção do livro e que se estendem até as atividades em torno do conteúdo após os autógrafos iniciais.
 
E trabalhar em rede implica, por exemplo, em pensar e produzir vídeos curtos com os autores, para serem disponibilizados no YouTube ou Vimeo e onde mais for possível. Depois, trabalhar esses vídeos com as redes, pedindo, sempre, um retorno do leitor. Aliás, publicar por publicar, também não funciona. Tem que arremangar e entregar-se ao leitor e à leitura.
A maior prova de que o leitor é o caminho, é que, hoje, o e-mail e seu uso nas taismailing lists, é ainda considerada uma das mais eficazes formas de se levar o conteúdo ao leitor. Portanto, tem que começar a guardar e trabalhar nossas listas de endereços eletrônicos dos leitores em potencial, e se lembrar que por trás de cada endereço há alguém como você, curioso por novidades ou enfastiado com repetições e sempre disposto a conferir algo interessante. Depois não adianta chorar quando não só não há vendas, como opinião nenhuma acontece sobre o livro.

03/08/2016

Compartilhe

 

Comentários:

Ótimo texto. Vai direto ao ponto, sem "aliviar".
Vou ver se consigo utilizar essas dicas.
Jairo Back, PoA 31/08/2016 - 10:13

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "035307" no campo ao lado.
 
  

 

  Paulo Tedesco

É escritor de ficção, cronista e ensaísta, atua como professor e desenvolvedor de cursos em produção editorial e consultoria em projetos editoriais, também como orientador em projetos de inovação em diferentes setores. Trabalhou nos EUA, onde viveu por cinco anos, nas áreas de comunicação impressa, indústria gráfica e propaganda. É autor dos livros Quem tem medo do Tio Sam? (Fumprocultura de Caxias do Sul, 2004); Contos da mais-valia & outras taxas (Dublinense, 2010) e Livros: um guia para autores (Buqui, 2015). Desenvolveu e ministra o curso de Processos Editorais na PUCRS e coordena o www.consultoreditorial.com.br atendendo autores e editores. Pode ser acompanhado pelo seu site, pelo Facebook ou pelo Twitter.

www.consultoreditorial.com.br

paulotedesco@hotmail.com
www.paulotedesco.com.br/
https://www.facebook.com/paulotedescoescritor?ref=bookmarks


Colunas de Paulo Tedesco:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural