artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Um Ano Quixotesco
Léo Ustárroz

 Todo brasileiro conhece algo de Dom Quixote, não é mesmo?

 

Trinta adaptações para o cinema, sabe-se lá quantas para o teatro — adulto e infantil —, o mesmo para a dança — em vários gêneros —, na música — da ópera de Massenet a Tom Zé —, na literatura infantil — desde Monteiro Lobato às adaptações para HQ —, e na obra original — com dezenas de edições no Brasil —.

 

Passados exatos 400 anos da morte de Cervantes, encontramos Dom Quixote e seu autor em qualquer veículo de comunicação, nos informando sobre o criador e suas criaturas. Pesquisando na internet por expressões como “as mais importantes obras de literatura” e variações disso, encontraremos no topo das listas o livro com as histórias do engenhoso fidalgo.

 

E por que esse cavaleiro da triste figura é tão importante? Deixo para os especialistas responder em abstrato, mas indico algumas respostas que alcancei concretamente.

 

Havia lido algo de Dom Quixote quando adolescente, parte da obra original publicada em alguma série colecionável. O fiz por curiosidade e por utilidade. Deixei de ser um total ignorante, andei uma casa à frente, mas não persisti em seguir adiante no tabuleiro da literatura.

 

Recentemente — passadas algumas décadas — atraído pelas letras, depois de uma vida de números, me interessei verdadeiramente por Dom Quixote, o ponto de, a cada final de capítulo, necessitar de uma pausa para acalmar as elucubrações e fantasias que passavam em minha cabeça. E, logo após, sentir uma revolução interior descortinando e apontando nossas próprias quixotices. Quixotices estas que se manifestam individualmente, mas também no coletivo e na própria humanidade, quando nos envolvemos em inúteis batalhas — e verdadeiras guerras — contra inimigos só percebidos pela tolice humana.

O que também nos diz Cervantes é que podemos mudar o mundo, sem nos lançar — como seu simpático e tolo herói medieval — às disputas inglórias, mas sim denunciando e criticando a injustiça através da comédia e ironia, portando como armas não mais que nossas ideias e a capacidade de transmiti-las pela escrita.


26/04/2016

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "014401" no campo ao lado.
 
  

 

  Léo Ustárroz

Léo Ustárroz nasceu em 1952, natural de Bagé-RS. Com formação em Engenharia Química pela UFRGS e Ciências Jurídicas e Sociais pela PUCRS, é empresário, bloguista, e contribui como articulista em jornais locais e sítios eletrônicos.

leoustarroz@jus.adv.br
leoustarroz.blogspot.com


Colunas de Léo Ustárroz:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural