artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Entrevista

Carlos, Calungo, Kalunga
Bárbara Barros

Carlos, Calungo ou simplesmente Kalunga nasceu na da cidade de Jaguarão, no Rio Grande de Sul. Seu trabalho é voltado ao público infantil e ao infanto-juvenil. Mas às vezes também se aventura no mundo dos adultos. Já teve dezoito livros do gênero infantil e infanto-juvenil publicados, sendo que alguns se transformaram em adaptações para teatro e gravou três CDs. Também realiza palestras e oficinas.

Nessa entrevista, Carlos Heráclito Mello Neves conta detalhes de seu pseudônimo Kalunga que é capaz de mesclar os diferentes lados de poeta, compositor, contista e animador cultural.
 

Como o Kalunga surgiu? E onde você buscou inspiração para o nome?

Kalunga surgiu inicialmente como um apelido, que na realidade era Calungo. Depois, quando enviei os primeiros escritos, contos e poemas para concursos literários, tinha que usar um pseudônimo. Sofistiquei um pouco o apelido e o transformei em Kalunga. Aí deu sorte, o novo nome pegou, e hoje só me chamam de Kalunga, o que ajudou bastante também como nome literário junto à criançada.

Você faz palestras shows para pessoas de diferentes idades. Qual é o segredo do Kalunga para transmitir mensagens a diferentes públicos?

Sinceridade no que me proponho a fazer, sempre com o maior respeito pelo público, seja ele de que idade for e local em que me apresente.

Com as mudanças tecnológicas e a aproximação cada vez mais precoce das crianças a este meio, você teve que passar por algum tipo de remodelação? Em algum momento já pensou em se aventurar na área digital? 

Respeito todos os meios - digital, virtual, analógico, presencial, etc,- que sejam utilizados com o propósito de levar uma boa mensagem até o ouvinte ou leitor. Acho mesmo que tem lugar para todos os envolvidos com uma boa literatura, independente da maior proximidade com um ou outro meio de comunicação. O importante sempre é você não fugir das suas características por modismo, e seguir fazendo o que sabe e se propõe com naturalidade e como já disse antes, respeito ao seu público. 

Ainda abordando o contexto digital, como você direciona o contexto de suas palestras para jovens, visto que muitos deles trocam o livro pela internet?

Respeitando a opinião deles e o momento em que vivem. Jamais adotar um discurso radical ou reacionário e dizer que um tipo de interação é mais eficiente que o outro. Sempre vamos encontrar alguém que concorda conosco, assim como outros que têm opinião diferente. O essencial é sempre através da literatura, ou mesmo sobre temas mais abrangentes do contexto digital, não abrirmos mão da nossa maneira de pensar, ouvindo também com atenção a opinião de quem está a nossa volta.

Como surgiu sua relação com a música?

Como consequência de fazer poesia, já melódica em sua essência e como exigência do público infantil, que está cada vez mais "precoce culturalmente" a nos exigir um comportamento mais artístico e criativo para agradá-lo em palestras e shows. E a música é um complemento maravilhoso para qualquer tipo de atividade relacional, principalmente com alunos das séries iniciais.

Seus livros são direcionados a diferentes públicos e possuem uma grande variação temática. Há algum projeto futuro?

Continuar com a média de um livro por ano. Para 2013 está programado o relançamento de “Não deixe morrer meus sonhos”, publicado inicialmente pela Miguilim de Belo Horizonte, de gênero infantojuvenil, e que foi premiado nacionalmente. E um novo CD. Quanto a variação temática, nunca deixar de abordar em prosa ou verso valores que considero fundamentais para que o leitor, seja criança, adolescente ou adulto, possa interagir com o conteúdo dos textos de maneira critica, provocando sua tomada de posição, não o deixando passivamente acomodado diante do que lê.

Pra finalizar, o que seria, para você, algo indispensável na construção de uma história infantil?

A simplicidade ao descrever, contar a história, de maneira que o leitor a entendesse e se envolvesse com ela como se estivesse conversando com o autor.


13/05/2013

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "095406" no campo ao lado.
 
  

 

  Entrevistas

As entrevistas publicadas no portal Artistas Gaúchos são feitas pela equipe do portal, mas se você deseja enviar uma entrevista, entre em contato com o editor do portal.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Entrevistas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural