artistasgauchos









Desenvolvido por:
msmidia

Poesia

Tercetos e Poetrix
Ana Mello

Comecei escrevendo poesias, na adolescência, depois crônicas e contos. Mas sempre gostei muito de tercetos e de rimas. Alguns autores permanecem na minha preferência.

Millôr Fernandes
No lusco-fusco, a passarada//Faz o ensaio geral//Para a alvorada.

Alice Ruiz:
por uma só fresta//entra toda a vida//que o sol empresta.

Ricardo Silvestrin:
ipê amarelo//até a calçada//floresce.

Guilherme de Almeida que além dos três versos usava o título que em minha opinião complementa os versos:

CARIDADE - Desfolha-se a rosa//parece até que floresce//o chão cor-de-rosa.

Estes autores que eu citei têm seus tercetos denominados haicais e quando resolvi publicar os meus na internet também usei essa denominação. Porém, recebi algumas críticas dos mais conservadores, que só chamam de haicais os tercetos sem título ou rimas, com 17 sílabas métricas (5//7//5), que não falam de temas urbanos. Na hora pensei que só os poetas consagrados podiam quebrar as regras e procurei estudar mais o assunto.

Nas minhas pesquisas encontrei um poeta baiano chamado Goulart Gomes. O GG, como é conhecido, sofreu as mesmas críticas que eu sofri e em 1999 criou o POETRIX. Ele nasceu em Salvador em 1965. É graduado em Administração de Empresas e pós-graduado em Literatura Brasileira (UCSAL). Durante a III Feira Internacional do Livro da Bahia, Goulart formulou as bases de uma nova linguagem poética, com publicação do Manifesto Poetrix, no seu livro TRIX – POEMETOS TROPI-KAIS. Poetrix é um poema contemporâneo, em terceto, de temática livre, com título, ritmo e um máximo de trinta sílabas, que possui figuras de linguagem, de pensamento, tropos ou teor satírico. O neologismo foi criado a partir de POE, poesias e TRIX, três.

Quem escreve poetrix é poetrixta. Os poetrixta multiplicam-se na internet onde os textos curtos atraem o gosto dos navegantes. E na internet surgiu o MIP – MOVIMENTO INTERNACIONAL POETRIX, com representantes no México, Espanha, Venezuela, Cuba, Portugal e Estados Unidos, além de várias regiões do Brasil.

O MIP tem um grupo de discussão e um site onde estão várias dicas, artigos, coletâneas e muito mais: http://www.movimentopoetrix.com/index.php

Durante esse tempo que o poetrix criou fama e foi andando por ai, nasceram várias formas múltiplas, como o DUPLIX, TRIPLIX, GRAFITRIX que enriqueceram a linguagem e atiçaram a criatividade dos poetas.

Para exemplificar, os DUPLIX - são composições que partem de um poetrix pronto e acabado, que foi escrito por outro poeta, não importa em que data ele tenha sido escrito. É importante deixar claro que não considera-se como duplix o autoduplix. Pode ser construído tanto do lado direito quanto do esquerdo do poetrix tomado como base, portanto a posição fica a critério do segundo autor. Algumas vezes o duplix é tão justo que podemos colocar os poetrix em qualquer posição, tanto a direita quanto a esquerda sem que haja perda no sentido.

EU e EU
Pedro Cardoso // Tê Soares

Menino carente // menina contente
feito pinto no lixo // feito quem brinca de cochicho
rega a vida, enganando a boca // negando a dor, veemente e louca

Infância Amor Platônico

Guilherme de Almeida (SP) Pedro Cardoso (DF)

Um gosto de amora//ficou na minha boca,

Comida com sol. A vida//radiante,

Chamava-se: "Agora."//o beijo de Clarice

Segundo a Bula Poetrix oficialmente publicada pelo MIP, o poetrix deve ser composto inspirado nas “Seis propostas para o novo milênio” de Ítalo Calvino: concisão, salto, susto, semântica, leveza, rapidez, exatidão, visibilidade, multiplicidade e consistência.

Os poetrixtas gostam muito de fazer cirandas, brincadeiras onde todos escrevem sobre o mesmo tema. Experimente e se tiver dúvida visite o site do MIP.


08/03/2010

Compartilhe

 

Comentários:

Oi,Ana até que enfim te encontro.Estou com saudade.Ótimo teu artigo,muito esclarecedor.Gosto de poetrix e haikai,por ser fácil para as pessoas lerem,neste mundo de correrias.Muito bons para publicá-los no Facebook.Beijos.
Suely Braga, OSÓRIO-RS 22/03/2012 - 21:33
ANNA ACABEI DE PULBLICAR UM LIVRO DE POESIAS,GOSTARIA DE AJUDA PARA DIVULGAR O MEU LIVRO E ATÉ SAIR DA MINHA CIDADE PARA LEVAR MEU LIVRO PARA FORA DAQUI, VENDE-LOS E SER MAIS CONHECIDA. NA MINHA CIDADE ELE ESTA SAINDO SUPER BEM, MINHAS POESIAS É SÓ ELOGIOS,ELAS FALAM DA NATUREZA, DE DEUS,DA REALIDADE EM QUE VIVEMOS,E UM POUCO DA MINHA VIDA,MUITAS DELAS TEM PERSONAGENS REAIS MAS QUERO OPINIÃO DE OUTRAS PESSOAS TAMBÉM,APESAR DE TUDO AINDA ACHO QUE O POVO NÃO SE INTERESSA MUITO PELA LEITURA ISSO DIFICULTA UM ESCRITOR SER RECONHECIDO OU ATÉ MESMO VIVER DA LITERATURA..ABRAÇOS ESPERO RETORNO..SOU CONHECIDA COMO DORINHA...
MARIA DAS DORES DA SILVA MENDES, Tubarão-SC 15/04/2010 - 17:14
Estou com o Edgar Borges. Adorei saber mais sobre o termo. Grata Ana!
Angela de Padua Schnoor, Rio 10/03/2010 - 21:30
Bacana esse artigo.Já havia lido o termo mas não tinha infos sobre o que significava.
Edgar Borges, Boa Vista RR 10/03/2010 - 16:28
Salve, Ana!
Primeira-dama do miniconto e uma professora nesta forma que ela aborda nesta crônica. Eu aprendi, aprendo e aprenderei com estes teus textos
Parabéns, guria
Alcir
ALCIR NICOLAU PEREIRA, Porto Alegre 08/03/2010 - 18:42
Ana, achei muito legal o texto: informativo,leve e provocativo...
Acaba aguçando, o "querer" mais a respeito. Parabéns!!!
Adriana veiga, Cachoeirinha/ RS 08/03/2010 - 12:11
Ana, muito bom o seu texto. A poesia minimalista, seja com poetrix, haikai ou poemínimo, vale também citar a trova, está se expandindo, sendo praticada até pelas crianças e adolescentes. Parabéns por esta divulgação. Um abraço.
Alvaro Posselt, Curitiba/PR 08/03/2010 - 10:39
Eis um gênero de poemas ideal para convívio social democrático sem se tornar chato ou tedioso (eu tenho forte preconceito sobre poem(t)as intermináveis e sem dicção). Texto bem informativo e interesante, valeu Ana!
Gaby Benedyct, POA/RS 08/03/2010 - 10:30

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "193511" no campo ao lado.
 
  

 

  Ana Mello

Ana Mello é escritora e publica em diversos sites na internet. Escreve poesias, contos e crônicas. É coordenadora do Movimento Poetrix no Rio Grande do Sul. Apaixonada por minicontos, ministra oficinas em cidades como Cachoeirinha e Osório.

anaelyod@yahoo.com.br
minicontosanamello.blogspot.com
twitter.com/anamello


Colunas de Ana Mello:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Apoio Cultural